HISTORIAL

Novembro 6, 2011


Alberto Garcia de Lemos, Manuel Oliveira. José Celestino Jorge, António da Rita e Rosa Ventura, fundaram o Grupo Folclórico do Salão na escola primária da freguesia do Salão no ano 1967 onde permaneceu até 25/12/1973 data em que foi desintegrado da escola ficando a funcionar autonomamente, administrado por uma comissão administrativa. Foi constituído em ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E CULTURAL no Cartório Notarial da Horta a 18 de Setembro de 1989, com publicação no Jornal Oficial da Região Autónoma dos Açores III série nº21 de 15/11/1989 e foi declarado ASSOCIAÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA pela PRESIDÊNCIA do GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES, através do despacho D/PG/98/91 Jornal Oficial II série nº45 de 10/11/98. A 25/12/2002 é lançado o HINO DO GRUPO que tem música do Professor José Maria da Silva e a letra do Dr. Victor Rui Dores, que faz referência aos costumes da Freguesia do Salão. É composto por 36 elementos e tem mantido uma actividade constante na divulgação dos bailhos e cantares da freguesia do Salão e da Ilha do Faial os quais eram executados pelas pessoas que se reuniam nas casas particulares durante os serões do milho, da palha e da trança para feitura dos chapéus. Ao longo dos seus anos tem mantido sempre o nível original da época que representa, sendo por isso muito solicitado a participar em convívios, comemorações de aniversários, festivais de folclore, festejos religiosos etc. A Freguesia do Salão tem como alcunha os folgazões.
saudade

Anúncios

Junho 1, 2013

598716_4178297255845_1988571755_n

Logotipo do Grupo

Fevereiro 23, 2013

nulllogo1.jpg

100_0874-1.jpg

Kolpingtanzgruppe Siddinghausen no Faial

Agosto 19, 2012

O grupo Folclórico do Salão foi o anfitrião na segunda fase do intercâmbio com o Kolpingtanzgruppe Siddinghausen do Município de Paderborn da Alemanha que decorreu entre o dia 3 e o dia 13 de Agosto. Durante a sua estadia na nossa ilha mostrou a sua actividade cultural no Lar de S. Francisco, Hotel Faial e por fim actuou nos Festejos da Semana do Mar tendo sido muito aplaudido pela grande assistência que se encontrava junto ao Palco na Avenida 25 de Abril. Para alem da parte cultural esteve bem patente também o convívio entre os dois Grupos. Visitas a diversos pontos turísticos da Ilha, Centro de interpretação do Vulcão dos Capelinhos , Jardim Botânico, Museu da Horta, Fábrica da Baleia e visita aos cetáceos e golfinhos não esquecendo a animação da Semana do Mar. A Ilha do Pico (Majestade dos Açores) também fez parte do programa onde se visitou vários pontos turísticos da Ilha passando pelo Museu Baleeiro e pela paisagem protegida da Vinha do Pico. A Estadia do Kolpingtanzgruppe Siddinghausen da Alemanha contou com o patrocínio da Direcção Regional do Ambiente, Câmara Municipal da Horta, Fundação Inatel, Junta de freguesia dos Cedros, Junta de Freguesia da Praia do Almoxarife, Museu da Horta, Fábrica da Baleia, Peter Café Sport, Loja Continente, Museu Baleeiro (Lajes do Pico) Cooperativa Agrícola de Lacticínios e Império Divino Espírito Santo dos Espalhafatos. Além destas Entidades contámos ainda com a colaboração de diversas pessoas que nos apoiaram em toda a logística.

Aproveitamos para agradecer a todos os que colaboraram connosco neste intercâmbio pois ajudou a divulgarmos com grande entusiasmo estas Ilhas de Bruma.

XXIX Festival Internacional Wewelsburg

Julho 14, 2011

A passagem do Grupo Folclórico do Salão pela Alemanha, onde participou no Festival Internacional da Juventude de Wewelsburg, deixou os responsáveis pelo grupo faialense muito satisfeitos. O Festival decorreu entre os dias 19 e 25 de Junho, e contou com a participação de oito grupos internacionais e dez grupos alemães, permitindo ao grupo faialense levar a música tradicional da ilha a muitas pessoas de todo o mundo. Alemães, italianos, sérvios, americanos, entre outros, marcaram presença neste festival onde os representantes lusos foram os faialenses.

O Grupo Folclórico do Salão contou com várias referências na imprensa local, que destacou a sonoridade dos instrumentos de corda e os “alegres chapéus de palha” do grupo do Faial.
Uma das particularidades deste Festival foi um momento dedicado à paz, onde todos os grupos participantes deixaram uma mensagem especial alusiva ao tema. Na sua mensagem, os salonenses falaram de como aprenderam “o ritmo cadenciado das marés”, e do facto da música ser a sua forma “de perseguir a felicidade e o sonho.

“Nas nossas nove ilhas a natureza canta. E foi a cantar e a bailar que descobrimos a nossa cultura e encontrámos a paz nos nossos corações. Somos universais a partir das ilhas porque para nós a música não tem fronteiras e é de todos os tempos e de todos os lugares. Além disso somos portadores de uma mensagem de paz e fraternidade, iluminados que estamos pela dádiva e partilha do Divino Espírito Santo”, explicaram os faialenses aos restantes participantes neste festival, a quem ensinaram também alguns dos seus “bailhos”.
Texto de Marla Pinheiro Tribuna das Ilhas